Quais são os benefícios do BIM?

Podemos entender o BIM (Building Information Modelling, traduzido como Modelagem da Informação da Construção) como “uma tecnologia de modelagem associada a um conjunto de processos para produzir, comunicar e analisar modelos de edificações”. Essa definição é dada por Chuck Eastman no seu livro intitulado BIM Handbook e é bastante aceita no mercado. Para ilustrar, podemos imaginar que tal tecnologia permite que a edificação seja totalmente construída virtualmente, permitindo visualizações de qualquer ângulo, extração de informações diversas e realização de simulações para assegurar o seu desempenho.

A definição destaca a ideia de um “conjunto de processos”: dessa forma, é importante entender que a criação dessa “construção virtual” só será realizada de maneira satisfatória e objetiva se estiver alicerçada em processos estruturados, consolidados e documentados.

Ao analisarmos uma edificação no mundo real podemos concluir que ela é formada por diversas informações. Uma parede, por exemplo, apresenta dimensões geométricas (largura, altura, espessura), informações térmicas (resistência e atrasos térmicos, emissividade, etc), quantidades de material (alvenaria, argamassa, pintura, etc) e assim por diante. É imprescindível, portanto, definir quais dessas informações são relevantes para o processo de projeto em questão e quem é o responsável por disponibilizá-las.

Com um processo bem estruturado e conduzido por equipes responsáveis e experientes é possível proporcionar diversos benefícios da tecnologia para o proprietário da edificação:

  • Como o modelo da edificação é único, todas as plantas, cortes, retiradas de quantitativos são feitos como “imagens” do modelo, dessa maneira, não há risco de informações desencontradas no canteiro de obras;
    Os modelos são naturalmente tridimensionais e integrados entre as diferentes disciplinas de projetos, assim ocasionais conflitos entre sistemas – muito comuns nos canteiros de obra – são detectados previamente e solucionados no ambiente de escritório, possibilitando uma obra mais rápida, otimizada e com menos retrabalho ou desperdício de material;
  • A extração de quantitativos de materiais pode ser realizada em diversas etapas do projeto, possibilitando uma análise técnico-econômica ao longo do processo de desenvolvimento do projeto;
    As possibilidades de análises rápidas de eficiência e iluminação natural permitem que as equipes de projeto otimizem suas decisões com base na redução de custos de operação e melhorias nos índices de conforto dos usuários aumentando a sua produtividade;
  • Com a aproximação da equipe de obra com a de projeto podem ser realizados planejamentos 4D e simulações de logística do canteiro contribuindo para a detecção das melhores alternativas e, assim, proporcionando significativas reduções de prazo de execução e custos;
  • Ao ser realizado o acompanhamento da obra e atualização dos modelos da edificação com a inserção de novas informações o cliente recebe um modelo vivo da sua edificação, permitindo um controle de manutenção muito mais assertivo e obras de reforma ou ampliação com impactos reduzidos no cotidiano da edificação.

É perceptível que a tecnologia BIM, se bem empregada com seus processos e metodologia, tem um grande potencial de aprimorar antigas deficiências do setor da construção civil no Brasil. Tanto é que em maio de 2018 o governo federal lançou a Estratégia BIM BR para organizar o processo de disseminação da tecnologia nos órgãos públicos e de ensino do país, seguindo o caminho trilhado por nações como o Reino Unido, Singapura e Finlândia. Resta ao mercado e os envolvidos no processo atentarem às transformações e se adequarem à nova realidade.